top of page
Search
  • Paulo Jorge Pereira

Cláudia Marçal lê "Erva Daninha", de Jorge de Sousa Braga

Com a colaboração e autorização da Professora Teresa Guerreiro, aqui regressa o projeto "Leituras contra a Pandemia", do Agrupamento de Escolas n.º 3 de Elvas. Neste caso, a leitura volta a ser de Cláudia Marçal, intitula-se "Erva Daninha" e o autor é Jorge de Sousa Braga, cujo trabalho poético já por aqui passou no 10 de junho.



Natural de Cervães, freguesia do município de Vila Verde, onde nasceu a 23 de dezembro de 1957, Jorge de Sousa Braga é licenciado em Medicina, tendo a especialidade de Obstetrícia/Ginecologia. Poeta, autor de livros para público mais jovem e tradutor, estreou-se a publicar em 1981 com "Plano para salvar Veneza". Seguiram-se "De Manhã Vamos todos Acordar com uma Pérola no Cu (1983), "A Greve dos Controladores de Voo" (1984), "Boca do Inferno" e "Os Pés Luminosos" (ambos de 1987), "O Poeta Nu" (compilação que reuniu obra anterior em três momentos diferentes: 1991, 1997 e 2007), "O Vinho e as Rosas" (1995) e "Fogo sobre Fogo" (1998). De 1999 é "Herbário", poesia distinguida com o Grande Prémio Gulbenkian de Literatura para Crianças e no qual está incluído o poema hoje aqui apresentado por Cláudia Marçal.

O seu trabalho literário prosseguiu com "A Ferida Aberta" (2001), "Pó de Estrelas" (2004), "Porto de Abrigo" (2005) e "Diário de Bordo" (2011), neste caso antologia em português-espanhol. "O Novíssimo Testamento" é de 2012 e, em 2021, "A Matéria Escura e outros Poemas" receberia o Prémio Autores como melhor obra de poesia.


Assírio & Alvim


O trabalho literário de Jorge de Sousa Braga já foi distinguido em duas ocasiões.

Este é o segundo exemplo aqui apresentado do projeto "Leituras contra a Pandemia": como se explica no arquivo dedicado ao referido plano, trata-se de um conjunto de "histórias e poemas lidos e ditos por alunos, professores, pais/encarregados de educação, escritores e amigos das bibliotecas escolares do Agrupamento de Escolas n.º 3 de Elvas durante os confinamentos devido à pandemia de covid-19 (2019/20 e 2020/21)". Segundo explica a Professora Teresa Guerreiro, "os projetos nasceram da necessidade de, em contexto de pandemia e confinamento, levar até à comunidade escolar textos, prosa e poemas, literários, como forma de vencer a tristeza e o afastamento".

E descreve as fases diferentes: "Teve dois momentos: o primeiro, 'Histórias contra a pandemia'; e o segundo, 'Um Poema por Dia para Combater a Pandemia'. Além das minhas leituras, participaram alunos, professores, encarregados de educação, amigos e alguns escritores, no segundo momento. O Ministro da Educação, João Costa, também participou."

28 views0 comments
bottom of page