Search
  • Paulo Jorge Pereira

"Epopeia dos Humildes", de António dos Santos Graça

Updated: Dec 18, 2021

"História dos heróis poveiros, feitos no mar", conforme disse a sua neta, Benilde, quando foi inaugurado o monumento de homenagem ao avô na Póvoa de Varzim, o livro "Epopeia dos Humildes", de António dos Santos Graça, é também uma forma de homenagear - neste caso, a bravura dos pescadores que lutam contra tantas adversidades.



Nascido a 16 de janeiro de 1882 na Póvoa de Varzim, o futuro jornalista, etnógrafo, escritor e político seria batizado com o nome de António dos Santos Constantino, só mais tarde alterando para António dos Santos Graça para usar o apelido do padrinho, o médico António Duarte Baptista Graça. Nunca deixou de lado as raízes humildes e faria da sua vida um contínuo ato de dedicação e apoio a quem mais precisava, fosse através de instituições culturais e assistenciais, fosse pela via do jornalismo. Publicações como O Povoense, O Comércio da Póvoa ou O Progresso devem a existência ao seu dinamismo. Estudioso dos modos de vida locais, empenhou-se na Etnografia e, em 1932, publicou "O Poveiro", já reeditado em diversas ocasiões pela Câmara e que aqui será em breve apresentado. De 1952 é a obra que aqui se revela, "Epopeia dos Humildes" que, tal como a anterior, foi uma gentil oferta camarária quando, a 8 de novembro, levei o "Murro no Estômago" e a violência doméstica ao Agrupamento de Escolas Dr. Flávio Gonçalves, na Póvoa de Varzim, com professoras e alunos de duas turmas do 9.° ano, mas também à Biblioteca Municipal Rocha Peixoto.

Influenciador cultural de enorme prestígio à escala internacional, também a criação do Museu Etnográfico local é obra do seu intenso labor, bem como a fundação de outras instituições relacionadas com a vida cultural. Seria ainda deputado e senador, demonstrando sabedoria política pouco comum entre os contemporâneos. "Na política como na vida, colocava sempre em primeiro lugar a sua terra, impulsionando medidas de desenvolvimento em todos os setores. 'Pela Póvoa, sempre!', foi o lema que o acompanhou ao longo de toda a vida", disse Benilde, a neta, citada por A Voz da Póvoa, a 7 de setembro de 2019, quando foi inaugurado o monumento de homenagem ao criador cultural.

Edição da Câmara Municipal


Jornalista, etnógrafo, escritor e político, António dos Santos Graça foi um irrequieto criador cultural na Póvoa de Varzim que nunca deixou de exaltar as qualidades dos conterrâneos.

Depois de uma vida intensa, marcada pelo irrequietismo e pela defesa intransigente dos valores poveiros, António dos Santos Graça viria a morrer a 7 de setembro de 1956.

49 views0 comments